Rosselo

Fiz o primeiro ano do antigo curso Primário no Colégio Nossa Senhora da Misericórdia, em Osasco. Não tinha ainda idade suficiente para entrar na escola pública. Assim, meus pais decidiram que era melhor eu entrar em uma escola particular, o assim chamado Colégio das Madres.

As freiras só aceitavam meninos até o primeiro ano primário; do ano seguinte e em diante, apenas meninas. Eu tinha três matérias: Português, Matemática e Religião. Aprendi a ler, a escrever e a fazer contas, além de saber que Deus vigia a todos e pune as crianças más.

O Colégio continua lá, na R. Madre Rosselo. Aliás, Santa Madre Rosselo, cujo corpo não sofreu a ação do tempo e permanece em uma câmara de vidro na Itália, onde se localiza a Congregação das Filhas da Misericórdia, a fundadora do colégio osasquense. Contam que o seu coração foi dela retirado e sangrou, além de se inchar, “tamanho era o amor que a santa tinha dentro de si”. O sangue derramado foi recolhido, distribuído em vidros e estes foram entregues às filiais da Congregação, inclusive a de Osasco. Tenho a impressão que vi este vidro com líquido encarnado em alguma missa que participei no primeiro ano da Escola, mas certeza não tenho, nem sabia do que se tratava, se é que eu o vi.

Este fetichismo religioso me perturba um bocado: que necessidade estranha de ter alguma parte do corpo, ou algum pertence, ou algo tocado por algum santo, mártir, profeta, ser exibido e exposto, como se o seu poder permanecesse nestes objetos. É claro que aplicaram bastante o famoso 171 nos infelizes que compraram lascas da cruz de Cristo, as caveiras de João Batista desde a infância até a sua decapitação, etc.

Sobre insilicium

Tenho formação em Exatas, basicamente em Física. Atuo no ramo de TI e busco trabalhar com ciência. Não dispenso a arte, seja visual ou sonora.

Publicado em maio 12, 2007, em lembranças. Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Também acho isso de um mau gosto incrível. O símbolo da cruz também me incomoda um pouco. Poderia ser o peixe ou o pão. Mas acho que isso não é culpa da Igreja. É coisa do ser humano.
    A exposição dos corpos no Ibirapuera foi concorridíssima. Quando ocorre algum acidente de automóvel, o trânsito pára, mais por causa dos curiosos do que pelo próprio acidente.
    Nós, humanos, temos problemas!

  2. Também acho isso de um mau gosto incrível. O símbolo da cruz também me incomoda um pouco. Poderia ser o peixe ou o pão. Mas acho que isso não é culpa da Igreja. É coisa do ser humano.
    A exposição dos corpos no Ibirapuera foi concorridíssima. Quando ocorre algum acidente de automóvel, o trânsito pára, mais por causa dos curiosos do que pelo próprio acidente.
    Nós, humanos, temos problemas
    Eu estudooo akii no colegio misericordia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: