O rock que conheci (0)

“Rock se toca com dois acordes: se houver três, vira jazz”, “um acorde: som de rave, bate-estaca”: deve haver algum fundo de verdade nestas jocosidades.

Quando era garoto, jovem imberbe, ouvia a rádio Difusora AM de Sampa, pois não havia outra que tocava rock. Ao menos, era o que eu tinha conhecimento, vivendo no subúrbio do subúrbio, em Osasco, Grande São Paulo, década de 60 e 70.

Sabia de Beatles? Já estavam separados quando de fato conheci a música deles. Conhecia os Stones? Sim, eu os ouvia e não sabia muito bem quem exatamente eles eram. Só vim a conhecê-los melhor quando entrei no segundo grau, quando comprei o “It’s only rock and roll” (but I like it) e depois fui atrás dos outros discos (de vinil, pois é). The Who? Sim, gostava bastante, mas “Quem” eram, só depois associei aquele “tóquin abaut mai jenereichion” com o “My Generation” que ouvi em um CD, bem mais tarde. Creedence Clearwater Revival? Hey Tonight, aquela outra perguntando se você viu a chuva …
Pink Floyd, Yes, Lou Reed, David “canivete” Bowie: dizem que aquele olho dele, de pupila dilatada, foi resultado de uma briga em sua adolescência por causa de uma garota. Teria ele sido ferido com uma faca Bowie por causa de uma chinesa calçando sapatos vermelhos? Cenas de um “Rock Dreams”. Este livro existe, melhor, existiu, edição esgotada, onde o ilustrador, Guy Peellaert, desenhou diversos astros do rock em cenas estranhas: uma santa ceia com o Elvis Pelvis Presley como o Salvador, pessoal do rockabilly como apóstolos e Tom Jones de Judas. Sabe a capa do “It’s Only Rock and Roll” que mencionei acima? O ilustrador é o próprio.

It's only rock' n roll

Cheguei a ver este livro uma vez, num sebo em Gainesville, uma cidade do Estado da Flórida. Mas o estado era lastimável. O dono era o típico hippie velho: cabelos loiros compridos, barba cultivada por longos anos, roupas largas. Acabei levando um quadrinho do Crumb: Mr. Natural. A barba deste é a mesma do dono do sebo.

Mr. Natural

Sobre insilicium

Tenho formação em Exatas, basicamente em Física. Atuo no ramo de TI e busco trabalhar com ciência. Não dispenso a arte, seja visual ou sonora.

Publicado em abril 12, 2007, em artes plásticas, lembranças, rock. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Aguardo ansiosamente o próximo post!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: